sexta-feira, 28 de setembro de 2012

Euromilhões

É hoje que conto contigo?


Sempre fiel,

Johnny

segunda-feira, 24 de setembro de 2012

Regras básicas para frequentadores de ginásio #1

Andar de havaianas é muito bom, que é, mas é no Verão e não em todos os sítios. Aceitam-se para ir a uma esplanada, para uma ida à praia e até para uma saída à noite dependendo do sítio. Para treinar no ginásio é só ridículo.

domingo, 16 de setembro de 2012

Tudo o que este blog podia ser, mas não é #4

E cá estou eu para revelar mais uma pesquisa espectacular que trouxe curiosos (e desocupados) ao blog. De repente parece que estou a apresentar os concorrentes da casa dos segredos e a revelar os segredos, mas isso é mailogo. Por enquanto contentem-se com mais uma questão inquietante:


Pedir o livro de reclamações sem consumir

Ora bem... eu sou muito a favor de pudermos reclamar e claro que sabe muito bem pedir o livro de reclamações para despejarmos toda a nossa fúria (e para três segundos depois termos todos os empregados/as aos nossos pés a prometerem-nos tudo e mais alguma coisa, escolha o que quiser que a casa oferece). Mas para isso acontecer tem que suceder uma coisa primeiro. Ora primeiro temos que solicitar um determinado serviço. Só depois, se a coisa correr mal e a paciência estiver em baixo de forma, é que temos o direito ao famoso livro. Isto de pedir o livro de reclamações sem consumir cheira-me a guerra. Alguém que quer armar confusão com um(a( qualquer coitado/a que atenda ao público, essa profissão tão complicada e que não se deseja a pessoas intolerantes à falta de educação. Por isso o meu conselho é simples: nada de se armarem em tontos, porque pedir o livro de reclamações nessa situação é só fazer figura de idiota. Sejam mais criativos, não se deixem cair no básico.

quarta-feira, 12 de setembro de 2012

Ouvi isto hoje

- Como se chama?
- "Qualquer coisa" Shrek


Claro que eu estava tão entretido nos meus pensamentos que nem fixei o nome próprio. Só me chamou à atenção a senhora ter o apelido de Shrek. Ninguém merece, embora o Shrek até seja um desenho animado engraçado.

terça-feira, 11 de setembro de 2012

A rotina


Hoje de manhã deparei-me com esta imagem no facebook. Foi inevitável associá-la com a minha vida neste momento. Estar trancado em casa a escrever a tese é isto. Alterno o meu tempo entre o computador, as refeições, a casa de banho e a hora de dormir. Basicamente não me resta tempo para muitas mais coisas e isso chateia-me, porque vejo a vida a acontecer lá fora e a minha aqui anda parada. É bom ver o trabalho a avançar, é um orgulho saber que estou a conseguir fazer isto sem ajudas extras, mas isto aborrece mesmo as pessoas mais entusiasmadas com tudo. Vou fixar-me na parte de que já faltou mais. Para acabar isto e para voltar a ter a minha vida.

Há 11 anos o mundo mudou



E passados 11 anos eu continuo sem perceber como é que alguém teve coragem para fazer uma barbaridade destas. E como é que existem pessoas tão más para planear esta monstruosidade? Há 11 anos que o mudou. E eu desconfio que não tenha sido para melhor.

sábado, 8 de setembro de 2012

23 já cá cantam!

A fila da bilheteira do aeroporto já ia quase a chegar a Vila Franca de Xira. Por isso rumámos para o Bairro para começar as festividades dos 23 anos. Sem qualquer influência aniversariante, diria que este é um dos melhores dias do ano. É o dia da Alfabetização (e das pessoas giras ahah). 

Pequena desgraça orçamental e dietética à saída do Bairro

A t-shirt com a frase mais cool. Um bom lema para os 23

sexta-feira, 7 de setembro de 2012

Ia agora sair de casa directo para o Bairro Alto para comemorar os 23 anos. Previa-se um jantar animado, uma passagem pelas ruas do Bairro Alto para passar a meia noite, acabando em grande estilo no Plateau. Mas a nossa rota foi mudada. Vamos todos para o aeroporto comprar os bilhetes de última hora para o sítio mais longe daqui, para não haver a mínima hipótese da austeridade nos ir lá buscar. Agora vou só ali meter a roupa na mala. A ver se não me esqueço dos casacos mais grossos, que isto o melhor é emigrar para o Pólo Norte.

Sobre o assunto blogosférico do momento

É rara a vez que se abre uma caixa de comentários por esta blogosfera e não se leia pelo menos um comentário desagradável. Não se tratam de críticas construtivas. Tratam-se de autênticas faltas de respeito, verdadeiros atentados à boa educação (e à minha paciência, porque aqui impera a tolerância zero a comentários desses). Quando criei este blog decidi logo que os comentários teriam moderação porque já suspeitava que gente idiota e mal-formada aparecesse por cá. Durante uns tempos tudo correu pelo melhor até que começaram a chegar os tais comentários, mas poucos, felizmente. Sinceramente eu sempre pensei que iria reagir mal quando aparecesse o primeiro, mas quando esse dia chegou eu limitei-me a eliminá-lo. Sem dó nem piedade. Não dou tempo de antena a pessoas que abusam do direito que têm de opinar. Há muita gente a ficar incrédula com esta censura, gostam muito de se vitimizar, mas aqui é assim que funciona. Fosse o mundo um lugar perfeito, onde não existiria a inveja da vida alheia, o desrespeito tão acentuado pelo próximo e tudo seria diferente. Mas isso é utópico. Há pessoas que não conseguem perceber porque é que os seus comentários não são publicados, quando no fundo é a "opinião" delas. Eu não considero vaias como "filho da puta", "estupor", "parvo" e outros que tais opiniões. Considero ofensas, não acrescentam nada de novo nem de bom à discussão e, portanto, não merecem protagonismo. A blogosfera, ou mais especificamente os comentadores da blogosfera e quem escreve nos seus blogs sobre outros bloggers, têm de compreender que nem tudo pode ser dito. Pode ser pensado. Comentamos para nós, dizemos ao vizinho e deve ficar por aí. Porque nem tudo é permitido. É preciso ter filtro e discernimento. Passar a vida a parodiar o que outros fazem ou dizem não dá um ar de piada. Dá só um ar tonto. E mostra uma imensa preocupação com a vida alheia, mesmo quando apregoam aos quatros ventos que não se trata de inveja. Portanto gente ressabiada que por aqui anda: se andam descontentes com a blogosfera, vão passear, vejam mais séries. Se não gostam do que um blogger escreve, se não se identificam, mas mesmo assim não conseguem deixar de andar por cá (eu percebo, isto é engraçado), encontrem outros blogs que vos encham as medidas. Mas abandonem a má educação. O respeito é de muito bom gosto não é verdade? Vejam bem, até os bloggers gostam.

Agora sim, estou muito mais aliviado. Há muito que esta me andava atravessada.

quinta-feira, 6 de setembro de 2012

Drama doméstico nocturno

Já passava da uma da manhã quando desliguei o computador. Já chegava de tese por hoje (ou por ontem, que entretanto o ontem passou a hoje). Abri a cama, vesti o pijama e, como sempre, fui à cozinha buscar o habitual leite com chocolate. Como o frigorífico fica perto da porta da cozinha, curiosamente desta vez nem acendi a luz. Estava eu já de frente para o frigorífico, pronto para abrir a porta quando sinto os meus chinelos a colarem. Achei estranho e acendi a luz para ver o que é que tinha deixado o chão tão peganhento. Antes fosse algo que colasse os chinelos ao chão. Era água. E não era uma poça pequena. Toda a cozinha estava transformada numa piscina. Ora o que é que uma pessoa faz à 1.10h da manhã perante uma situação destas? Finge que não viu nada e vai deitar-se descansadinha da vida? Arma-se em boa samarinata, agarra no balde e na esfrogona e fica ali 3 horas a ensopar tudo sem fazer barulho? Não. Óbvio que não. Chama os pais. Sim, acorda os pais e informa que a máquina de lavar loiça decidiu largar água por todos os lados. Vão por mim, sejam espertos. Não vale a pena armarem-se em altruístas a horas tão tardias. Se estão três pessoas em casa, não vamos estar a açambarcar as tarefas só para nós. Há jogo para ser distribuído, é chamar a malta ao posto de trabalho. Agora vou só ali dar pontapés na máquina. Ou então vou dormir. 

quarta-feira, 5 de setembro de 2012

Cristiano Ronaldo está triste porque...

... a mamã 'Dollhoures' e as manas quando agradecem em francês dizem "messi".

Esta é uma das centenas de explicações que os portugueses estão a dar para a tristeza do CR7. E está hilariante. Percam uns minutos a ler o que se tem escrito. Vão dar umas boas gargalhadas.

terça-feira, 4 de setembro de 2012

Tudo o que este blog podia ser, mas não é #3

Ora está na altura de revelar mais uma pesquisa que conduz muita gente aqui à barraca. E com esta pesquisa, minha gente, posso dizer-vos que são enganados. Não deixem que o Google vos faça mais isto. Pois só vêm aqui perder o vosso tempo quando pesquisam...

Custódia Gallego nua 
com a variante Custódia Gallego mamas

Eu não me quero alongar muito na dissecação desta pesquisa, porque estaríamos a conversar até amanhã de manhã e temos todos mais do que fazer. Deixo-vos antes um conselho: entupam a caixa de e-mail da nova versão da revista Playboy. Pode ser que a senhora (e a Playboy), em percebendo que tem público, vos faça a vontade e vos mate a curiosidade. E assim param de chegar aqui ao estabelecimento enganados, que eu não gosto de defraudar expectativas a ninguém. Juro que não tenho culpa, é o Google que vos indica mal o caminho.

E já agora deixo aqui um beijinho à Custódia Gallego que é das minhas actrizes portugueses preferidas e que merecia mais respeito por parte desta gente. Desavergonhados :P

Why have gold when you have Silver?


Esta miúda é gira nas horas.

segunda-feira, 3 de setembro de 2012

Ahhhh como é bom voltar ao ginásio passado um mês e perceber que isto de enfardar gomas, chocolates e afins é muito giro, mas tem de acabar de uma vez por todas. E como é bom estar a meio de uma aula e ouvir uma senhora, por sinal com idade para ter juízo, dizer em alto e bom som ao instrutor "ISSO É UM BROCHE NÃO É?". Pára tudo (parou mesmo tudo). Havia necessidade? Não passava de um pin que o rapaz tinha na t-shirt. Era óbvio que aquilo era um pin. Ao início eu senti vergonha pela senhora, mas depois ela continuou a insistir com a conversa e desatei a rir. Temo pela próxima aula e pela alminha que se lembrar de levar algum adorno na roupa desportiva. 

domingo, 2 de setembro de 2012

Como não quero que passem o domingo inteiro a vegetar no sofá ou na praia embrenhados em pensamentos tão bons como "é tão bom não fazer nada, habituava-me bem a isto", deixo-vos com uma questão em mãos para pensarem e tentarem desmistificar. É só explicarem porque é que as pessoas dizem "com licença" no momento que passam por nós ao melhor estilo furacão Katrina. É um contra-senso e na minha humilde opinião acho que ficava melhor optarem pela sinceridade e dizerem "com brutidão" ou não dizerem nada. Sim, é este o nível a que cheguei. No fundo eu sou pessoa que se intriga com o comportamento da espécie humana. Mas não sou só eu. Sou eu e a pessoa que me acompanhou às festinhas populares que foram só o maior flop dos últimos anos. Sai uma pessoa de casa a julgar que se vai divertir para perceber que o melhor da noite é comer uma grande waffle a transbordar de chocolate. Um bom domingo para todos. Toca a puxar pelos neurónios!

sábado, 1 de setembro de 2012

Esta música não me sai da cabeça #22


E agora só para comemorar a reserva dos bilhetes fica aqui uma música muito boa dos Ornatos, que tem uma letra muito gira. 

A saga para conseguir bilhetes para os Ornatos Violeta

Como é que a Worten informa que já não têm bilhetes disponíveis para venda para a nova, terceira e última data dos Ornatos Violeta no Coliseu de Lisboa, quando eu vejo no site do Coliseu que só na plateia em pé ainda existem mais de 2200 bilhetes para venda. Como? Eu e o restante pessoal que queria muito ir já nos tínhamos conformado com a ideia das datas estarem todas esgotadas, encolhemos os ombros e continuámos a nossa vida, mas com a mágoa de não irmos à derradeira despedida. Claro que ontem quando vi a notícia da terceira data para Lisboa meti-me a enviar sms para toda a gente às 2 da manhã. Desta vez não havia desculpas. Era correr à bilheteira mais próxima, comprar os bilhetes e guardá-los a sete chaves, que depois de quatro datas esgotadas em três dias uma pessoa tem que tomar precauções especiais. E o funcionário da Worten diz que não há bilhetes disponíveis para vender, assim sem mais nem menos? Isto não é notícia que se dê assim, é preciso algum controlo nas palavras, aprendam a preparar as pessoas para estes choques, tenham mais formação. Claro que assim que me ligaram a avisar desta calamidade eu retorqui que seria impossível, que ainda há minutos tinha visto no site que o que não faltavam eram bilhetes para comprar. E foi assim que, para descanso de todos, reservei os bilhetes online. Uma pessoa bem quer dar trabalho à Worten, mas ela obriga-nos a fazer tudo sozinhos. Depois queixem-se que perdem clientes!