sexta-feira, 30 de setembro de 2011

Esta música não me sai da cabeça #7



O Bryan Adams é sem dúvida dos meus cantores preferidos. Portanto, podem imaginar que não fiquei muito contente quando descobri que o concerto esgotou mais rápido do que estava à espera e não fui a tempo de arranjar bilhetes. E eu queria tanto ir, porque achei o concerto de 2005 memorável. Tenho o DVD Live in Lisbon, mas ao vivo é sempre outra coisa. Por isso, se alguém tem bilhetes para vender ou sabe de alguém que tenha, é favor chegar-se à frente e avisar.

quinta-feira, 29 de setembro de 2011

Olhem, o Isaltino Morais foi preso. Querem ver que é desta que a Justiça começa a funcionar?
Começo a ter vergonha de dar o meu contacto electrónico do hotmail a um professor. Calha mal e não dá a melhor impressão. Contem-me a verdade: isto num curriculum é sinónimo de não arranjar trabalho não é?

quarta-feira, 28 de setembro de 2011

Como prenderes uma audiência desinteressada no que vais dizer, mas que te conhece minimamente, e barulhenta quando tens que apresentar-te começando por referir o teu maior feito na vida

É simples. Basta dizeres: O meu maior feito na vida foi... (esperar 2 segundos para os mais desatentos repararem que estás a falar) ter acertado ontem na chave do euromilhões (fazer uma pausa mais longa, esperar que todas as cabeças se virem na tua direcção com ar de espanto e já a pensarem que se calhar vai-lhes cair algo na conta e só depois dizer que foram apenas 2 números e 1 estrela, mas que o importante é começar-se por algum lado. E nessa altura sim, dizer o que realmente importa - ou disfarçar bem que aos 22 anos ainda não se fez nada de jeito na vida, mas dar o ar que sim).

segunda-feira, 26 de setembro de 2011

Fortaleza - As Farmácias

E como hoje é o dia nacional do farmacêutico, nada melhor do que se falar em farmácias. Se bem que eu poderia dizer-vos que ia falar acerca de supermercados que não estaria a mentir. Isto porque o conceito de farmácia no Brasil (ou só no estado do Ceará, infelizmente não conheço outro) é muito abrangente, sendo bem possível uma pessoa entrar na farmácia decidida a pedir alguma coisa para as dores de cabeça e cinco segundos depois pensar que está a ficar doida, questionando-se porque é que entrou numa mercearia. É que nestas farmácias uma pessoa pode comportar-se como num supermercado, porque tem quase tudo nas prateleiras. A diferença é que em vez de escolher entre uma caixa de oreo ou uma de belgas, tem a possibilidade de escolher entre o medicamento A ou o B. É a auto-medicação no seu melhor. E agora já está menos perigoso, porque há cinco meses os antibióticos deixaram de estar nas prateleiras e passaram a ficar sob a alçada e decisão do farmacêutico (e os problemas de saúde pública que isto representa? nem vos conto). Mas a farmácia não se fica pelos medicamentos. Lá podem-se comprar CD's de forró, carvão, pensos higiénicos e champôs, amaciadores, tintas para o cabelo, pastilhas, fraldas, sprays barbeadores. A lista é ainda maior e ainda engloba também poder-se pagar a água e a luz, qual payshop portuguesa. E ainda existem as promoções - vi genéricos com 60% de desconto, coisa impensável por cá (aí é que era ver as farmácias a declararem falência, se bem que já não andam muito longe dela). E como a farmácia tem muito pouca animação, começam agora a surgir os dias do doentes, onde se pode medir a tensão arterial e o colesterol ao som de uma banda de forró. Nada mais animador não é? Uma pessoa pode acabar de saber que tem os triglicéridos altíssimos, açúcar no sangue para dar e vender e uma tensão arterial propícia para um enfarte, mas ao menos sai da farmácia animada e antes disso ainda dá um pezinho de dança.






Aprende-se muito na faculdade

Fico sempre espantado com a quantidade e qualidade científica dos conteúdos que me são transmitidos nas aulas. Hoje foram assim uma mão cheia deles e decidi partilhá-los com vocês (só porque não gosto de me rir sozinho):
- Se forem a uma boate façam tudo o quiserem, mas por favor comam antes de se deitarem.
- Se querem uma noite exótica e erótica devem ter muitos frutos vermelhos e chocolate à mistura.
- Pensavam que eram só os rapazes que tinham coiso não era?

domingo, 25 de setembro de 2011

Fortaleza (e arredores) - Paisagem Natural










E esta foto que foi tirada em andamento? (Descobri o meu talento)





Ninguém merece

As músicas do André Sardet já são aquela obra-prima que todos conhecemos. Agora tentem imaginar essa obra-prima com um upgrade de kizomba.

sábado, 24 de setembro de 2011

E hoje estamos de casório

Primeiro disse que não ía. Mas depois mudei de ideias assim que li o convite. E acho que se percebe porquê... Digam-me lá se este acontecimento não vai ser imperdível com um convite destes!

quarta-feira, 21 de setembro de 2011

Qual é a necessidade de ir para a televisão mandar beijinhos para a mãe, para o pai, para as primas, a tia afastada, o periquito e o cão, só porque estão num concurso? Vêem a Leonor Poeiras a mandar beijinhos à família? Ou o Malato a dizer olá à mãe? Ou a Cristina Ferreira a mandar um grande beijo à avó? A resposta foi sempre não? Então parem lá com a parolice se fazem o favor. 

terça-feira, 20 de setembro de 2011

Alguém me explica porque é que ficamos com comichão quando falamos sobre o assunto ou quando estudamos a sarna, dermatites e piolhos?

Agradecido.

segunda-feira, 19 de setembro de 2011

Posso contar com os funcionários do meu ginásio sempre que me sentir mal

Demoraram cinco minutos quando pedi um copo com açúcar. A sorte foi que a minha quebra de tensão não era muito grave. Mas quando se der o caso alguém vai desmaiar.

É disto que o meu povo gosta (ou como esta edição da casa dos segredos vai dar que falar)

Já tinha saudades da Teresa Guilherme a apresentar. Dá 15 a 0 à Júlia Esganiçada.
Sónia - “Sou uma candidata diferente porque tenho cérebro”.
A concorrente Cátia abanou-se tanto que por momentos pensei que estivesse com incontinência urinária.
Sónia não te dou três semanas para ficares solteira e com um par de cornos. Ups.
Bruna – “Quero participar na Casa dos Segredos para ser conhecida”. Haja alguém sincero!
Filipe - “Tenho outros interesses, como a política, álcool, a boémia e a literatura”. “No fim dos anos 70, início dos anos 80 começaram  a nascer crianças que vão mudar o mundo. E eu sou uma delas.”
Nádia - “Gostava de ser advogada” – Então o que é que vais fazer para a Casa dos Segredos?
Susana – “Actualmente tenho um litro em cada peito”.
O João J. vai ser o António da primeira edição.
O facebook é o novo cupido do amor. Pelo menos, para a malta da Casa dos Segredos.
Susana – “Sou claustrofóbica.” Então o que é que foste fazer para um casa onde vais estar trancada?
A Fanny vai ser a Veríssima.
Digam-me que Fanny não é o nome do cartão do cidadão da moça (se bem que depois de Lyonce Viiktórya tudo se pode não é?).
O Paulo nem precisava de abrir a boca para se perceber que é segurança de discoteca.
Eu sabia que ninguém pode ser muito normal ao inscrever-se neste programa, mas pressentir a morte já é demais.
“…o meu pai. Nós somos um só. Praticamente vivo para ele”. Ãh Ãh! Por isso é que foste para a casa e o senhor está internado. Adoro pessoas coerentes.
Mais uma grande pérola: “sou poliamoroso diagnosticado”.
Um psicólogo e uma psicóloga na casa. Cheira-me que foram para o curso para se auto-tratarem, o que nunca dá bom resultado. Mas sempre arranjam trabalho com os colegas.
Olá eu sou o Ricardo, sou sopinha de massa e sou vocalisssta.
São todos bons actores. Mas depois a única personagem que representam
Olá eu sou o Pedro, trabalho no banco que o Johnny costuma frequentar. Amanhã já terei novidades ;)
Um dos requisitos é ter nomes esquisitos. É meio caminho andado para entrar na casa. Fica a dica para a terceira edição.
Que tal mudança de nome para “tennager’s house”?
Quem é que naquela casa está a estudar para freira ou padre? Ninguém tem ar disso.
Ainda bem que a minha mãe não me procurou trabalho no centro de emprego. Essa instância pública é um perigo. 

domingo, 18 de setembro de 2011

Parem de remixar todas as músicas por favor

Já há uns anos que tenho vindo a detectar um grande problema, não só a nível nacional, o que o torna ainda mais grave. Esse problema envolve com toda a certeza pessoas maníacas que têm como objectivo na vida remixar tudo. Não importa se a qualidade final será boa ou se se estará a produzir um atentado ao tema original. O que interessa é produzir e que o remix venda que nem pãezinhos quentes. Dou só um exemplo para perceberem melhor do que falo: as músicas da Adele que passam na rádio Orbital. Aposto que a senhora tem urticária de cada vez que as ouve. Portanto, produtores musicais e dj's que não têm nada que fazer da vida acalmem-se porque nem tudo o que têm feito é bom.

Esta música não me sai da cabeça #6


Esta música e as restantes do mesmo CD.

sábado, 17 de setembro de 2011

Como um congresso aparentemente chato se pode tornar apelativo

Gosto sempre de ir a congressos. Mesmo que o tema não seja muito apelativo. Ontem nem foi esse o caso, porque era dedicado à diabetes e eu até sou um rapaz que gosta de andar actualizado. Mas o que eu gosto mesmo nos congressos é das barraquinhas que oferecem canetas. Peço desculpa se estou a ofender alguém, mas ontem deu mesmo jeito vir de lá com mais de 10 canetas no bolso, um bloco de notas, um anti-stress e uns artigos científicos sobre o tema. É que ir à Staples no regresso às aulas é coisa para me dar cabo do orçamento mensal e estas coisas parecendo que não dão um jeitão. Só é pena não oferecerem dossiers. Fica a dica.

sexta-feira, 16 de setembro de 2011

Do facebook e da privacidade

Ontem dizia-me um conhecido que ia cancelar a sua conta do facebook porque através dela todas as pessoas conseguiam saber da vida dele. E eu tive que discordar. As pessoas sabem tanto da nossa vida quanto nós mostramos. Se não andarmos constantemente a publicar onde estamos, o que estamos a fazer, se forem evitadas fotos mais reveladoras (e não estou a falar de fotos semi-nuas, atenção) então não saberão assim muito da nossa vida, a não ser banalidades. Também não ajuda ter 1500 amigos, em que 99% só fazem parte desse grupo para nos cuscar a vidinha. É preciso é bom senso. Só se expõe quem quer, ninguém é obrigado.

Fortaleza - O Bar Pirata

Eu até podia dizer-vos que vir a Fortaleza e não ir ao Bar Pirata é como ir a Roma e não ver o Papa. Acontece que quando fui lá não fiz questão de ver o senhor e, por isso, não vou fazer a generalização. Talvez seja a mesmo a segunda-feira mais louca do mundo, como diz a propaganda, ou não. Mas posso garantir que vale mesmo a pena conhecer o Pirata.







quarta-feira, 14 de setembro de 2011

Esta música não me sai da cabeça #5


A Lady Gaga pode ser muito extravagante e quando se pensa que ela já não consegue ser mais escandalosa, lá vem ela provar o contrário. A par disso, também dá provas que a sua fama não é só produto do marketing que está por trás. Ao contrário de muitos ídolos pop ela tem voz. E não é uma voz qualquer, é até um vozeirão. Para quando um álbum só de baladas Gaga? Deixa-te de exageros, tu és muito boa neste registo.

Fortaleza e arredores

Avenida da Abolição





Vista para a praia Meirelles


No fim da praia Meirelles


E porque não adoptarmos sinais de trânsito em português?


Praça Guerra Junqueira - centro da cidade


Centro da cidade



Mercado central


Praia de Iracema


Orelhão


Segurança redobrada - é assim por toda a cidade


A cidade dos pães-de-forma. Quero um sff


Publicidade pintada em puros


Feira de artesanato à beira-mar


E outra vez a feira de artesanato













Quando cheguei a Fortaleza passei por uma zona que tinha casas deste género, mas seguidas empilhadas. Perguntei se estávamos a passar por uma favela, ao que me respondem: "não, isto aqui ainda não é favela. É só pobre".

Fortaleza – imagem mental

Fortaleza. A capital do estado do Ceará. Uma cidade enorme, onde vivem três milhões de pessoas. Onde reina a simpatia e onde o lema deixa a vida te levar, vida leva eu é o mote. Onde não existem (muitas) tristezas. Onde há um pagode em cada esquina. Onde tudo é ou pode ser uma festa. Onde se leva a vida um dia de cada vez. Onde o amanhã é apenas isso: amanhã; hoje é que importa. É uma cidade de contrastes. Onde existe o rico e o pobre, onde a classe média é quase um vestígio. Onde ao lado de um prédio de 22 andares está uma casa com as paredes em tijolo. Onde a comida é maravilhosa. Onde bebi os melhores sucos de sempre e onde se encontra o melhor rodízio. Onde a caipirinha é bem forte e feita com açúcar branco. Onde o desporto rei é o futebol. E à hora do jogo as esplanadas e o estádio enchem-se de gente que se levanta eufórica a cada golo. É a cidade onde a cerveja é servida em garrafas só pelo prazer de se encher o copo do amigo. Onde existem muitas leis, mas poucas se cumprem. Onde a velocidade máxima permitida é de 60km/h. Onde uma ida à praia é bem diferente do conceito português, envolvendo um chapéu de palha, mesa e cadeiras onde a malta se reúne. Onde existe muita pobreza que choca e nos dá um murro em seco no estômago. Onde as rádios só passam música brasileira. É a cidade do forró. Onde cada noite há uma atracção para nos divertirmos. Onde a segunda-feira é bem capaz de ser a mais louca do mundo. Onde há muita prostituição. Onde as praias são paradisíacas. É a cidade em que a maioria dos carros tem os vidros fumados para se suportar melhor o calor. Onde amanhece às 5.30h e anoitece às 17.30h o ano inteiro. Onde há sempre um sorriso a dar, independentemente dos problemas. Onde é mesmo como o Martinho da Vila diz: é devagar devagar devagarinho. Onde as pessoas são acolhedoras. Onde reina a boa disposição. É a cidade onde estão sempre a passar ônibus a abarrotar. Onde a segurança vale e é paga a peso de ouro. Onde cada prédio tem segurança 24h. Onde quase não há placards para anúncios publicitários, mas sim tinta e muros em tijolo para pintar. É a cidade das gostosas. E dos shorts. Das havaianas no pé. Onde o samba é herança genética. Onde se faz desporto ao amanhecer e ao pôr-do-sol à beira-mar. Onde há um ginásio em cada esquina. Onde há 40 empregados por loja. Onde existe uma rua só com lojas de sapatos e outra só com oculistas e outra só com mobiliário. O Brasil é tudo isto e muito mais. Não é o que pintam por cá. Só indo, vendo e vivendo. E nos próximos posts, as fotos para me entenderem melhor.

terça-feira, 13 de setembro de 2011

Vou deixar aqui um pedido aos tradutores de programas norte-americanos, se o incómodo não for muito, para terem mais atenção quando estão a trabalhar. Principalmente em termos mais científicos. Hoje li "carboidratos". Então e a letra h, onde anda? É isso e seis pounds serem 2,5 kg uma vez e 3 kg outra. Vamos lá a ter cuidado sim?

100



E pronto, o blogue atingiu 100 seguidores. Muito obrigado. E que venham mais 100. Agora que ninguém se arme em engraçado e deixe de fazer parte deste ilustre e muy nobre grupo. 

Acreditem que era com uma nota como a da imagem que eu vos recompensaria, mas até ganhar o euromilhões ou a lotaria do Natal nada feito.