sexta-feira, 16 de setembro de 2011

Do facebook e da privacidade

Ontem dizia-me um conhecido que ia cancelar a sua conta do facebook porque através dela todas as pessoas conseguiam saber da vida dele. E eu tive que discordar. As pessoas sabem tanto da nossa vida quanto nós mostramos. Se não andarmos constantemente a publicar onde estamos, o que estamos a fazer, se forem evitadas fotos mais reveladoras (e não estou a falar de fotos semi-nuas, atenção) então não saberão assim muito da nossa vida, a não ser banalidades. Também não ajuda ter 1500 amigos, em que 99% só fazem parte desse grupo para nos cuscar a vidinha. É preciso é bom senso. Só se expõe quem quer, ninguém é obrigado.

3 comentários:

Marina Ribeiro disse...

Exactamente! Só se sabe o que é mostrado, o que queremos que se saiba. Mas há coisas que se tiram umas das outras, aí a perspicácia do espectador é muito importante, tipo tu não poes fotos tuas mas se os teu amigos poem fotos onde estás tu tambem, e se permite que todos as vejam...
Lá está, tudo depende se deixamos a porta aberta ou fechada, e para quem a abrimos.

disse...

Subscrevo inteiramente. Também acho piada aquelas pessoas que dizem que são vigiadas por x pessoas (pessoas específicas, digamos assim) no facebook e por isso vão eliminar a conta. Oi? Existe uma funcionalidade para bloqueio e outras tantas de privacidade.

MK disse...

Concordo plenamente. Só tem facebook quem quer, e só deixamos ver quem nós queremos que veja. Por alguma razão existe a opção de recusar pedidos de amizade assim como a hipótese de restringir as fotos a um grupo assim como outra coisa qq que se coloque no nosso perfil.