sexta-feira, 29 de abril de 2011

terça-feira, 26 de abril de 2011

Não é justo que as boas pessoas tenham azares na vida nem que partam tão cedo. E infelizmente é uma realidade bem presente.

Nos últimos tempos, e principalmente hoje, tenho pensado que a vida é curta e incerta (muito incerta!) demais para fazer de pequenas problemas dramas e para dar importância ao que não vale a pena.

segunda-feira, 25 de abril de 2011

E chegou hoje ao fim


A melhor série portuguesa de sempre.

domingo, 24 de abril de 2011

Num restaurante

Pedi batatas cozidas. O empregado respondeu que só tinham batatas fritas.

Foi em Espanha que esta situação ridícula sucedeu. Não há dúvida que a hospitalidade não é o forte dos nuestros hermanos.

terça-feira, 19 de abril de 2011



Não gostava eu de conzudir com nevoeiro. Mas hoje descobri que conduzir com direito a trovões e relâmpagos é muito mais desagradável. Se hoje nenhum raio me atingiu o carro então só posso ter muita sorte.

segunda-feira, 18 de abril de 2011

E eu a pensar que esta semana ia trabalhar literalmente para o bronze

Eu não sou pessoa de me queixar a toda a hora do tempo. Se está a chover durante uma semana ou se está nublado, encolho os ombros. Paciência, não há nada a fazer. Mas foda-se, que já chateia. Então depois de semanas de sol e 30ºC, até no Algarve vai estar a chover até domingo? Depois no dia 25 já há sol com fartura. E, coincidência, é no dia que regresso.

sábado, 16 de abril de 2011

Tenho para mim que os meus avós (e qualquer pessoa da geração deles) vai ter sempre como máxima gordura é formosura. Quando acabei com a vida sedentária em Fevereiro disseram-me que fazia muito bem, que não estava nada mal, mas que podia perder uns quilinhos. Agora, depois de resultado estar à vista já me imploram que pare, que assim já chega, não vá eu ficar escanzelado. Desconfio que associam a elegância à anorexia. Não devo andar muito longe da verdade.

quinta-feira, 14 de abril de 2011

Não gosto quando as pessoas são dramáticas em visitas de hospital. O familiar ou amigo que vão visitar já tem a sua dose de chatices para estar a levar com outra em cima. Já chega estar internado, ter sido operado, não se conseguir mexer muito bem e estar na mesma posição horas a fio sem poder fazer algo de útil. Também já lhe chegam as preocupações do que era para ser feito e teve de ser adiado à força. Não compreendo a atitude choramingas nem as lamúrias. Abomino os 'ai filho o que te aconteceu', 'ai que desgraça', 'ai coitadinho'. Tudo bem, pode ter acontecido algo de grave e é normal que nos preocupemos. Mas não vale a pena estar a bater no ceguinho. Só o facto de irmos visitar a pessoa já demonstra que nos preocupamos e que queremos o seu bem-estar e que gostamos dela. Em vez dos choros e dos ais devemos ter uma atitude positiva. Ir nas calmas, sem cara de enterro e fazer conversa. Podemos falar da operação, do que aconteceu antes, mas acredito que para a pessoa se torne cansativo, porque fala do mesmo a toda a gente. Não faz mal falar de assuntos que nada tenham a ver e, muito importante, mandar umas piadas para animá-la. Acredito mesmo que o sentido de humor é a melhor arma. É mais eficaz,  a pessoa distrai-se e não fica ainda mais ansiosa e preocupada do que já está. A recuperação não vai ser mais rápida e as dores não vão passar só por chorarmos e lamentarmos a situação. Portanto, malta sofredora, nada de exageros nas visitas. Não custa assim tanto.

terça-feira, 12 de abril de 2011

Prendas originais e diferentes




Fica aqui a sugestão para quem está farto de oferecer relógios, perfumes, t-shirts e jogos para a playstation. Já tinha visto imagens, mas garanto que ao vivo tem outro impacto. Muito louco.

segunda-feira, 11 de abril de 2011

Eu sabia que este dia ia chegar

Tocaram-me à campainha pela milionésima vez para me falarem de Jesus Cristo. Até hoje tenho sido paciente. Demais, até. Dizia que não estava interessado, que já conhecia, que já me tinham falado disso, que ainda a semana passada estiveram cá em casa a pregar. Por vezes até pedia desculpa por não ter tempo e acho que houve uma vez que aceitei ficar com o panfleto. Mas hoje ainda ia a descer as escadas e já pensava para mim que se fossem testemunhas de Jeovás, malta da Igreja Maná, parvinhos da Igreja Jesus Cristo é o Senhor a coisa ia-lhes correr mal. Mal abri a porta vi duas senhoras (com idade para terem juízo) e um miúdo com uns 6 anos. Os três de panfletos na mão. Sem ter tempo de dizer 'boa tarde' ou algo do género a mais velha iniciou logo o discurso. "Ah, vimos aqui para lhe falar em Jesus Cristo e para lhe dar um convite para a celebração da morte de Jesus Cristo". E foi na parte "somos da Igreja..." que eu a deixei de ouvir e lhe interrompi o discurso. Disse-lhes para se manterem fora do muro porque não tinha dado licença para entrarem. É que a distância do muro à porta de casa ainda tem uns metros, mas já estavam quase com os pés no tapete, prontos para entrar e forrar-me a casa com papéis sagrados. E depois tiveram que ouvir até ao fim: que a religião não se apregoa, que cada um acredita no que quer e que não gosto que me andem a impingir crenças. A senhora ainda tentou minimizar o incómodo com um "mas não é para se tornar crente, é apenas um convite para a celebração da morte de Jesus Cristo". E eu expliquei-lhe que não, não era um convite, mas sim falta de educação. Esqueci-me de dizer que também é uma grande lata. Mas essa parte do discurso fica para o próximo que cá vier bater à porta.

domingo, 10 de abril de 2011



A sério que é esta miúda cheia de pinta que deu voz à música irritante do Pingo Doce? Que contraste...
(É que imaginava uma senhora feia, cheia de verrugas e com uma voz irritante tal como a do anúncio)

sábado, 9 de abril de 2011

Costa algarvia

Do Carvoeiro a Santa Eulália.
Está-se bem no Algarve. E o tempo já pede uma ida à praia.
Então bom fim de semana para todos.









quarta-feira, 6 de abril de 2011

Além de dinheiro será que o FMI vai trazer menos corrupção?
Estas noites não estão para ficar em casa. Isto quer é esplanadas.

sexta-feira, 1 de abril de 2011

Está decidido

Nas próximas eleições só voto num candidato se prometer acabar com as filas de trânsito na A2. É que já chateiam.