segunda-feira, 20 de abril de 2015

Coisas que me transcendem

Pessoas com algum grau de formação que confundem há com à.

quinta-feira, 9 de abril de 2015

Pessoas que publicam imagens com frases feitas no facebook:

se a autoria da frase for de Fernando Pessoa duvidem em 99% dos casos.

quinta-feira, 5 de março de 2015

Alguém pode avisar a Ana Leal que o Halloween é em Outubro?

~



Não é preciso usar toda a maquilhagem disponível no camarim.

domingo, 22 de fevereiro de 2015

Óscares 2015 (ou fosse o mundo um lugar justo)

Melhor Filme
Grand Budapest Hotel


Melhor Realizador
Birdman, de Alejandro G. Iñárritu


Melhor Actor
Eddie Redmayne, em The Theory of Everything


Melhor Actriz
Julianne Moore, em Still Alice


Melhor Actor Secundário
J.K. Simmons, em Whiplash


Melhor Actriz Secundária
Laura Dern, em Wild


Melhor Argumento Original
Birdman


Melhor Argumento Adaptado
The Theory of Everything


Melhor Fotografia
Birdman


Melhor Montagem
Whiplash


Melhor Edição de Som
Birdman

quinta-feira, 8 de janeiro de 2015

Este blogue anda adormecido, mas continua atento ao que se passa no mundo




Quando criei este blog nunca me passou pela cabeça ter de auto-censurar-me no processo de escrita para agradar gregos e troianos e para evitar retaliações. 

quarta-feira, 17 de dezembro de 2014

Pensem no assunto e depois digam-me qualquer coisa

Porque é que a maioria dos cantores portugueses vão a programas de televisão fingir que cantam quando, no fundo, a profissão deles é cantar?

quarta-feira, 3 de dezembro de 2014

O problema de muitas pessoas (gostava de acreditar que são apenas algumas, mas começo a perder a fé) é pensarem que podem fazer tudo o que quiserem, que podem dizer tudo o que lhes apetecer sem filtrarem a mensagem, porque nunca lhes vai acontecer nada. Tenho más notícias para vocês: vai. Eu explico: mais cedo ou mais tarde voltarão a cruzar-se com a pessoa com quem foram indelicados, mal educados, mal intencionados, o que seja. E pode dar-se o caso disso acontecer em contexto profissional, o que torna a situação muito mais interessante. A tal música muito conhecida do Justin que repete vezes sem conta what goes around comes around é a mais pura das verdades. Portanto, nada de má educação, nada de reis na barriga, nada de atitudes ao estilo eu sou o dono do mundo, eu sei tudo e o resto é uma cambada de ignorantes. É que hoje podemos estar cheios de L. cassei imunitasse, mas amanhã podemos estar sem a nossa bolha de Actimel. E é aí que bad things can happen. E aí já não há nada a fazer.

quinta-feira, 13 de novembro de 2014

Eu sei que este assunto já tem uma semana

mas sou só eu que quando revejo o vídeo de Pires de Lima sinto vergonha alheia?

quarta-feira, 15 de outubro de 2014

quinta-feira, 25 de setembro de 2014

E eu que quando fui para a faculdade a pensar que um cursos superior nos garante estabilidade financeira.

Podem rir-se à vontade. Somos tão inocentes aos 18 anos.

quinta-feira, 18 de setembro de 2014

Alguém que meta não nisto

Era suposto termos benefícios ao utilizar transportes públicos para nos deslocarmos para o trabalho, nomeadamente não sofrer um arrombo na conta bancária quando compramos o passe.

É também o momento em que pensas se vale a pena ter passe de metro, uma vez que fazer greve é novo horário de expediente daquela malta. 

quinta-feira, 11 de setembro de 2014

9/11

Porque o mundo não se esquece. E eu também não.


Utilizadores de ginásio obcecados:

Aquele comportamento de marcar território com "pertences" não é característico dos humanos, mas sim dos cães. Sim, dos cães, que utilizam o xixi para marcar território. Nós, seres com a grande e única capacidade de civilização, não precisamos de deixar o telemóvel numa máquina, a toalha na outra e ainda o batido de proteína noutra. Existem mais pessoas a querer usar as máquinas que vocês vão reservando com os vossos pertences pessoais.

Por hoje é só.
Para a próxima o destino dos pertences será o chão, querocásaber.

segunda-feira, 1 de setembro de 2014

Em Setembro inicia-se um novo ciclo

Em Setembro voltamos sempre a apostar todas as fichas para mudarmos o que há muito planeamos. Fazem-se planos e pensa-se, ano  após ano, que desta vez é que vai ser.

Hoje, tal como em muitos Setembros, voltei a inscrever-me no ginásio com a convicção de que este vai ser o ano em que me vou aguentar lá o ano inteiro. A ver vamos.

domingo, 31 de agosto de 2014

O problema dos empregos é que nos cobram muito pelo que nos pagam. Sobretudo, esvaziam-nos da criatividade. Do fulgor. Querem que inventemos, reinventemos e sejamos proactivos, mas roubam-nos o espaço das piruetas, dos malabarismos, das loucuras. Querem acção mas só nos dão tempo para a reacção. E é uma pena. Sobretudo para quem nos paga, que poderia levar tão melhor pelo mesmo preço...

Da sempre certeira Bad Girl no seu Bad girls go everywhere

segunda-feira, 25 de agosto de 2014

Isto anda tudo ligado

Afinal as pessoas que vão a concertos e que passam o tempo a andar de um lado para o outro sem prestar atenção ao espectáculo e sem sequer olhar para o palco estão na verdade entretidas a esmurrarem-se e a brincarem com armas a sério.

Mas ninguém cria um ecoponto para esta malta? Só naquela de os colocar-mos lá para ver se voltam com as ideias no sítio.

quinta-feira, 21 de agosto de 2014

E depois há dias em que não estamos preparados para ver certos filmes

Como é o caso do filme The Perks of Being a Wallflower.



Juro que achei que ia ver um filme que falaria dos problemas pelos quais todos os adolescentes passam com uma grande dose de comédia pelo meio. Mas não, nada disso. Este é sem dúvida um dos melhores filmes que vi nos últimos tempos, arrisco mesmo dizer que deve ser um dos melhores filmes feitos nos últimos anos. A interpretação do Logan Lerman é qualquer coisa de excepcional, o argumento é muito bom e até a banda sonora não deixa nada a desejar. De comédia tem pouco, mas de efeito 'murro no estômago' tem que sobre. Em resumo, um filme a não perder.

Pessoas que vão a concertos e que passam o tempo a andar de um lado para o outro sem prestar atenção ao espectáculo e sem sequer olhar para o palco:

porque é que vão?

sexta-feira, 20 de junho de 2014

Coisas que me inquietam

Porque é que as mães adolescentes frequentam consultas de Planeamento Familiar? Em 99% dos casos elas não planearam nada e já não precisam de mais planos, porque já têm a sua criança.

É só isto.
Agradecido

terça-feira, 17 de junho de 2014

E é isto. Bola para a frente.

A vida é para quem topa qualquer parada.
Não para quem pára em qualquer topada.

quinta-feira, 15 de maio de 2014

Coisas que me inquietam

Porque é que o 5 Para a Meia Noite não começa às 5 para a meia noite?

segunda-feira, 31 de março de 2014

O país sem sentido

Um governo que não deita a mão aos milhares de sem-abrigo do país. Um governo que permite a cada dia o aumento da diferença entre classes. É o governo que sorteia Audis a quem pede facturas. Fica a sugestão de novo sorteio para premiar o tuga que passa na passadeira, as pessoas que não abandonam animais e as que usam os transportes públicos para diminuir a poluição das cidades.


quinta-feira, 20 de março de 2014

Eu ainda sou do tempo...

... em que a Primavera começava a 21 de Março.

terça-feira, 11 de março de 2014

Eu bem disse que alguns membros da Academia não viam os filmes antes de votarem. Pois parece que não me enganei. Afinal os Óscares não premeiam só a sétima - tratam também assuntos políticos a cada cerimónia anual. Nada que eu já não soubesse e que não andasse a dizer aos anos, mas uma coisa é dizer-se, outra é aparecerem provas. Globos de Ouro e festival de Cannes não me falhem, estou com fé em vocês. 

terça-feira, 4 de março de 2014

Óscares



Depois da palhaçada que foi esta edição só mesmo esta fotografia para me divertir um bocado.

Eu já sabia que o Gravidade ia ganhar as categorias técnicas para as quais estava nomeado. Sabia e concordava. Até sabia que o Alfonso Cuáron tinha fortes hipóteses de ganhar o Óscar de melhor realizador, mas mesmo assim tive esperanças que houvesse um factor surpresa e que chamassem ao palco o David O. Russel ou o Martin Scorsese. Também sabia que iam continuar a birra com o Leonardo DiCaprio, mas pelo menos deram o prémio ao Matthew McConaughey que esteve brilhante. Do Jared Leto nada a dizer, merecido. A Cate Blanchett esteve muito bem, que esteve, mas tenho para mim que os membros da Academia não viram August: Osage County. Só isso pode explicar a não atribuição do prémio de melhor actriz à Meryl Streep. Digam-me que foi isso. Ou os votantes estão todos a ficar cegos como a Judi Dench? Só pode. Talvez isso também consiga explicar a atribuição da estatueta à Lupita, que não esteve mal, mas que não chegou aos calcanhares da Jennifer Lawrence (que é sempre a mais engraçada) nem da Sally Hawkins (como é que se falou tão pouco dela?). Por último, eu que tinha no pensamento que o Gravidade não podia ganhar o prémio de melhor filme, depois de saber qual o vencedor pensei que se calhar, mais Óscar menos Óscar, era melhor ter também açambarcado esse. A sério que o 12 Anos Escravo me ganha o melhor filme? Com o Lobo de Wall Street e o Dallas Buyers Club a concorrer na mesma categoria? Curioso é o melhor filme não ter o melhor realizador, o melhor argumento original, a melhor banda sonora, o melhor actor e a melhor actriz. É um filme que não tem nada melhor, mas é o melhor. Do género daqueles alunos que têm zero de raciocínio, mas que depois sacam 19 nos testes sem ninguém perceber como. Decididamente os Óscares já não são o que eram.

domingo, 9 de fevereiro de 2014

Stephanie,

Só para saberes que não gosto de furacões armados em turistas.

Nós já temos a Ana Malhoa, esse furacão português.

Entendidos?

Se calhar já paravam com aquela coisa do ver para crer

Ver o telejornal é (também) constatar que há pessoas parvas. Muito parvas. Então as autoridades andam há dias a anunciar um enorme temporal, a dizer que toda a zona costeira vai estar agitada, com ondas com mais de 10 metros de altura e ainda existe gente que decide ir ver o mar? Juro que fiquei incrédulo (não sei como é que ainda me surpreendem, mas conseguem) ao ver pessoas a dizer aos jornalistas que assim que souberam que o mar ia estar agitado saíram de casa para ir ver, outras a dizer que estavam a passear no Guincho porque já faz parte da rotina e, assim como assim, tinha de ser. E levarem com uma onda nas trombas? Isso também podia ser? E um senhor que dizia à jornalista que já tinha saído com mais vento do que estava naquela altura? Aposto que nesse dia voou. Não admira que um proprietário de um café tenha dito que era em dias como este que mais facturavam no Inverno. Só é pena não venderem massa cinzenta e bom senso para acompanhar o café dos clientes. 

quinta-feira, 30 de janeiro de 2014

Casa dos segredos dixit

Quem disse "penso, logo existo?" O Dimitri.
Por que parte do corpo era conhecida a Cleópatra? Pelos olhos. Não, era pelo corpo todo, ela era toda boa!

Medo desta geração na qual me encontro.

sexta-feira, 24 de janeiro de 2014

Ter um iPhone

é temer ficar incontável quando se sai para jantar com apenas 47% de bateria.

segunda-feira, 13 de janeiro de 2014

Viagens

Gosto de planear viagens. De agarrar no mapa, e quem diz agarrar no mapa diz recorrer ao google maps, e começar a traçar um itinerário. Contar os dias e encher cada dia com o maior número de locais com passagem obrigatória. Gosto disto de planear, de escolher os sítios por onde vou andar daqui a uns tempos, de procurar o que há de interessante, de prever que acordarei num sítio, que chegarei a outro por volta do almoço e que ainda posso dormir num terceiro lugar. Há muita coisa por visitar por aí e muitos poucos dias de férias (ok, a verdade é que não me posso queixar, que tenho mais que os 22 que a lei decreta, muahahah). A única coisa que não gosto nisto de planear viagens em que se pega no carro e se vai para longe é quando percebo que, à primeira, só consigo planear a ida, tal é o entusiasmo. Quando chego ao dia do regresso, nos meus planos estou a 1000 km de casa e ainda com 4 cidades por visitar. O próximo passo será estabelecer prioridades. O que não ficar visto agora, será visitado mais tarde.