segunda-feira, 10 de janeiro de 2011

É assim que querem que eu goste de animais?

Durante os exames do semestre passado eram os vizinhos emigrantes que me davam música nas sessões de estudo. Eles eram grandes patuscadas até às tantas, eles eram sessões de fado e jazz, eles eram gargalhadas, eles eram tardes de piscina. Era só boa vida e eu que a ouvisse a alto e bom som e que me concentrasse nas sebentas à mesma. Agora que eles não estão cá, a música é outra. Pois que o cão de um vizinho (que eu ainda não descobri quem, mas já faltou mais) decide passar o dia a ladrar. Sim, é mesmo isso. Não estou a exagerar. O cão não se limita a ladrar 5 minutinhos por dia. Só descansa para recuperar o fôlego e afinar a voz. E o pior é que ele é uma espécie de maestro. Basta ele dar o primeiro sinal, entenda-se ladradura, que o resto dos cães da urbanização fazem logo o favor de acompanhá-lo sem hesitarem. E eu passo o dia nisto. A estudar, a tentar ignorar os ão-ão que se ouvem a quase toda a hora e a odiar aquele cão como se não houvesse amanhã. Chego mesmo a pensar para mim que é hoje que eu vou tocar de porta em porta a perguntar se são os donos do cão irritante, mas os dias passam, eu não pergunto e ele continua são, saudável e barulhento. A verdade é que até tenho pena do animal, embora ele não tenha pena nenhuma de mim. É que o bicho de certeza que tem raiva. Ou fome. Ou precisa de atenção e os donos não o deixam sair do quintal para dentro de casa. Ou sente-se sozinho e angustiado por ouvir outros cães perto e não poder brincar. Eu sei lá, só sei que é muito desagradável. E que qualquer dia perco a vergonha e ganho coragem para falar com os donos, que não têm consciência que um animal neste estado está perturbado e perturba os outros. É que não há paciência.

3 comentários:

Roxanne disse...

quando se tem que estudar nada melhor que esse genero de sinfonia!

Cherry disse...

Odeio, odeio, odeio! Os meus vizinhos têm cerca de 4 cães, mas esses decidem dar música a altas horas da madrugada quando eu já estou a dormir ou a tentar dormir. É que depois é como dizes... Juntam-se sempre mais uns quantos vindos sabe-e lá bem de onde e é uma sinfonia do caraças. Nada melhor do que gatinhos, eu sabia que havia uma boa razão para gostar mais de gatos xD

Ritchie disse...

Eu acho que estás a ser demasiado bondoso em relação ao assunto... o cão á parvo, irritante, não deixa ninguém em paz e muitas outras coisas más.
os meus pais tinham uma porcaria de um cão assim que não se calava nunca. era bem tratado, tinha um espaço excelente para estar, acompanhado de outros 3 cães maravilhosos e silenciosos, tinha água, comida e carinho... mas preferia ficar em casa a mijar e c**** em todo o lado... é capricho!
um dia uns amigos deles foram lá a casa, apaixonaram-se pelo cão que ganhou uns donos novos. moram numa quinta isolada e só voltam ao fim do dia. secretamente penso que ele teve o que merecia por ser caprichoso e irritante ao ponto de eu pensar matar o bicho... agora deve passar os dias a ladrar até ficar sem voz, e ninguém ligar ao assunto!