quarta-feira, 4 de agosto de 2010

Livro de Reclamações #2

É com imensa revolta, raiva e vontade de incendir o pior bar do Algarve que escrevo este post.
Pois que fomos a um bar, noite de karaoke, tudo muito animado. Havia praticamente só ingleses a devorarem canecas de cerveja. Ao fim de um tempo lá arranjámos mesa. Ainda nos estavamos a sentar, a tentar arranjar cadeiras para todos quando veio o dono mostrar a sua enorme simpatia ao dizer que a senhora do karaoke não trabalhava de borla. Pedi um café. Respondeu-me com toda a má educação que arranjou no momento que se eu tivesse lido à entrada do bar tinha reparado que não têm serviço de mesa. Dirigi-me ao balcão e pedi um café e uma água. A senhora que me atendeu, a mulher do dono, também recorreu a toda a sua má vontade, servindo-me quase que por favor. Uma jóia de mulher que sabe cativar os clientes como mais ninguém o faz. Falta-lhe apenas uns pontos a mais no QI para perceber que um cliente que pede uma água e um café e que vai ficar no karaoke irá consumir mais. Mas isso não é para ela. Ela foi feita para atender clientes que a primeira coisa que pedem é uma caneca de cerveja e um whisky cola. Entretanto lá fui eu sentar-me e beber o meu café enquanto o resto da malta (três amigos) decidiam qual a música que íamos cantar no karaoke. Música decidida, uma amiga chama o dono do bar e pede-lhe uma caneta para nos inscrevermos. E ele, sempre no auge da boa educação, diz-lhe "você não está a consumir nada, espere sentada, mas mesmo sentada, que eu lhe traga a caneta" e virou costas. Note-se que estávamos há 2 ou 3 minutos sentados. Ficámos incrédulos. Ela tocou-lhe no braço para ele voltar à mesa ao que ele lhe diz "não me toque". Seguiu-se uma série de postas de pescada vindas da parte do estúpido do dono do bar que nos atissou a boa disposição e a vontade de pedir o livro de reclamações. E foi isso que se fez. Pediu-se o livro à empregada. Ai que vou perguntar ao meu patrão, ai que me esqueci, ai que já lhe digo. Uma fingida do pior. Passado imenso tempo a jóia de moça (a dona) vem até à esplanada ter connosco perguntar se tínhamos chamado alguém. Pois claro que chamámos. É o livro de reclamações se faz favor. E foi aí que a peixeira que estava escondida naquela mulher veio ao de cima. Recusou-se a dar-nos o livro. Que chamássemos a polícia, que te parto a cara toda, que faço queixa de vocês. Nisto surge o dono que nos diz "chamem a polícia para eu fazer queixa de vocês, porque vocês não consumiram nada! Onde é que têm o talão?". Então digam-me lá se este senhor não é um grandessíssimo filho da puta? Se não merecia o bar fechado?

E pronto, neste país quem se safa são os aldrabões e os vigaristas. Percebemos que sem talão nada seria feito e que ele ainda iria dizer que não tinhamos consumido nada.

Neste momento a minha cabeça não pára de engendrar planos para destruir aquele bar. Aceito sugestões. Se alguém for o melhor amigo, o filho, o sobrinho ou a mulher do director da ASAE, entre em contacto comigo, por favor. Isto com jeitinho dava para encerrar o bar e pôr aquela família de mal-formados a passar fome.

Não querendo generalizar, mas acabando por fazê-lo, é esta a merda de comerciantes que temos no sul do país. Tratam lindamente os estrangeiros. E os portugueses são tratados como lixo.

4 comentários:

Ana disse...

Que revolta que dá ler este teu post. É triste como impera o capitalismo na mente de certas pessoas. Simpatia e educação fazem parte de um núcleo cada vez mais restrito de pessoas, infelizmente.

Beijinho

MissGummyBear disse...

Ainda estou absolutamente incrédula com este post. Que nojo de gente.

Vanita disse...

Tens todo o direito de pedir o livro de reclamações sem teres consumido e eles são OBRIGADOS a dar-to. E sim, se tivesses chamado a polícia, ela estaria do teu lado. Estas coisas enervam-me. Raio de gente pá...

Ritchie disse...

Tu é devias ter chamado mesmo a policia... pois quem tem direitos e razão aqui és tu... quer tu tenhas consumido ou não. essa ameaça não fez sentido nenhum e o talão não vos ia serir para nada... ela partia a cara toda, melhor, ainda pedias uma indeminização por cima e acredita que se te souberes mexer a tens... ele podia armar-se em boi se tu tivesses pedido para o ires servir sendo que, no estabelecimento, não se possui serviço de mesa e está devidamentye identificado... mas o livro TEM de ser entregue aquando da sua solicitação e não há quem to possa negar... quer tu tenhas ou não razão para fazer a reclamação. quem depois o dirá serão as autoridades competentes. eu pego em gasolina e vou lá contigo. epah, é o que dá mesmo vontade, que filhos da... enfim...