segunda-feira, 26 de julho de 2010

Do casino


Houve uns tempos que ia regularmente (que é como quem diz uma ou duas vezes por mês) ao casino. Apostava nas slots machines e na roleta. Ganhava dinheiro, mas também perdia. Mas, regra geral, o saldo à saída era sempre positivo ou nulo. Era divertido, gostava da adrenalina, da expectativa do ganho dinheiro, não ganho dinheiro. Hoje lá voltei eu. Desta vez com muito menos entusiasmo. Os meus amigos gastaram 25€ e não ganharam nada. Eu não joguei e, por isso, não fiquei mais pobre. E ainda bem, porque quer se queira quer não aquilo é um vício, mesmo para quem vai esporadicamente, mesmo para quem vai "só para gastar 5€". Uma vez ia destrocar dinheiro com uma amiga e um funcionário disse-me: "vão-se embora, vão antes para a discoteca, não gastem o vosso dinheiro aqui. Trabalho cá há 5 anos e já vi muitas vidas destruirem-se aqui". Na altura sorrimos e esperámos que ele nos trocasse o dinheiro. Agora já o percebo melhor. É que hoje estava um senhor a apostar fichas de 1000€ na roleta e a perder constantemente. Com a quantidade de fichas que ele apostou já estava eu na agência Abreu a marcar as passagens para a Jamaica, Havai e Nova Iorque. Mas nem toda a gente gosta de dar uso ao dinheiro para viajar. Há malta que prefere dá-lo aos casinos. E é uma pena. Podiam dar-me a mim que eu não me importava.

5 comentários:

Dani disse...

Se não é indiscrição... és da Póvoa de Varzim? :)

∗ANA∗ disse...

O casino arruina mesmo muitas vidas...

Meio Cheio disse...

É uma pena mas ha mesmo muita gente que destroi a vida assim...felizmente não sou pessoa de vicios e não é um tipo de investimento que goste de ter.

Boa semaninha*

Dani disse...

Eu perguntei porque sou de lá perto, e uma vez um senhor, que trabalhava no casino da Póvoa de Varzim, disse-me exactamente o mesmo.

Roxanne disse...

eu nunca entrei num casino! e tb optaria pelas viagens! ;)