terça-feira, 26 de junho de 2012

Sempre achei as pessoas que são defensoras dos direitos dos animais, e que em simultâneo comem carne, muito incoerentes.

6 comentários:

disse...

concordo!

Anónimo disse...

Uma coisa é sobbrevivencia, outra racionalização. Jamais faria deliberadamente mal a um animal, como tantos fazem, como nas touradas, como na caça desportiva. Mas tal como na selva, temos que nos alimentar. A diferença está na intencionalidade do acto. Eu já tentei ser vegetariana, não consegui. Mas se estou a comer e penso nisso, mete-me nojo e não sou capaz de continuar.
Cecil

Johnny disse...

Cecil, já assistiu à matança de um porco? Ou de uma galinha? O animal sofre sempre, embora a intenção em matar o animal seja a de adquirir o nosso próprio alimento. Há sempre sofrimento para o animal, quer quando o matamos por desporto ou por necessidade de sobrevivência.

Anónimo disse...

Sou totalmente contra as grandes festarolas Alentejanas da matança do porco, ou vamos lá esvair uma galinha em sangue para fazer a cabidela. Não é de todo praticado nos matadouros, mas existem métodos que minimizam o sofrimento do animal. Imagine mesmo a sua morte: esventrarem-no como um porco, ou simplesmente morrer de forma controlada atenuando a dor. É diferente. Mas atenção, acho qualquer uma das formas de tirar vida recrimináveis.
Cecil

Amelia disse...

Não concordo nadica. Mas também não ponho no mesmo saco de intenções o matar por prazer e o matar por sobrevivência, coisas MUITO diferentes.

Lia disse...

Eu concordo a 100% com a Cecil... O facto de comer carne, não me vai levar a maltratar deliberadamente um animal...