quinta-feira, 20 de janeiro de 2011

Ainda há bocado calhou em conversa nomes terríveis que uma pessoa pode ter. E eu dizia que não gostava de Santiago, Sebastião, Salvador, Delfim e afins. Esqueci-me de referir outros ainda melhores como Anacleto, Belmiro, Pelixo, Gervásio, Ambrósio e Albertino. E agora dou por mim a agradecer pelos meus pais terem tido tino suficiente para não me desgraçar à nascença. E por não terem o gosto tão apurado (e duvidoso) da Lucy e do Djaló. É que se uma menina carrega a cruz de se chamar Lyonce Viiktórya, eu nem arrisco imaginar como se chamaria um filho deste casal. Esta é a prova viva de que a conversa de haver pais que deveriam ser processados pelos filhos devido ao nome que têm não é apenas uma anedota. Isto é vida real. E obrigado por não ser a minha.

3 comentários:

Roxanne disse...

e nestes momentos que abencoamos a sanidade mental dos nossos pais nao é?

Lolita disse...

E eu também digo: obrigado por não ser a mim. Ainda bem que a miúda um dia vai poder mudar de nome!

Cherry disse...

Espero que a miúda tenha mais tino que os pais e que um dia mude de nome porque... Ninguém merece!