sexta-feira, 29 de outubro de 2010

Se há coisa que me faz muita confusão na cabeça e que não encontro lógica alguma para explicar é ter amigos que se afastam muito (para não dizer completamente) porque começam a namorar. Parece-me que para essas pessoas as duas coisas não são compatíveis. Mal pensam em namorar alguém lhes deve apontar uma arma à cabeça e lhes diz que terão de escolher: ou o amor da sua vida ou os amigos. As duas coisas já é abusar. É pedir de mais. Portanto, meus amigos, é escolher, não se pode ter tudo. E o mais engraçado é que escolhem. Nem metem a hipótese de conciliar as duas coisas. Isso é ser garganeiro. O tempo fica reduzido, à que optar. Um dia passa a ter só 24 horas e uma semana apenas 7 dias. Por isso não há tempo para amigos. E mesmo que se tente explicar à pessoa que efectivamente um dia já tinha 24 horas antes de ela namorar, vai-nos jurar a pé juntos que é mentira e que estamos a ficar malucos. Vai-nos garantir também que não se afastou. Apenas deixou de telefonar. E de mandar uma mensagem a perguntar se está tudo bem. E de ir beber café. E de responder sempre não a qualquer convite que ainda façamos. Isso são pormenores. A questão da distância é imaginação nossa. A pessoa está sempre ali para nós. Sempre pronta a dar o ombro amigo quando é preciso. Nós é que metemos na cabeça que ela não está. Mas ela está sempre. Nós é que fazemos filmes. Continua sempre a preocupar-se connosco. Está sempre a par da nossa vida, das nossas trivialidades. Mas não sabe que queremos ir jantar fora. Não sabe as últimas 50 novidades. Não partilha connosco o que é importante para nós. Mas está sempre lá. Nós é que somos exagerados e chatos. Porque tentamos contrariar o que acontece. A verdade é que não há nada para contrariar. Está tudo bem, tirando o facto de insistirmos para aparecerem mais vezes. Ainda mais? Já aparecem tanto.

Isto é frustrante. É ridículo. É chato. Satura e cansa. E eu cansei-me. E desisti. Não estou chateado. Apenas não me vou importar mais.

Uma relação, seja ela de que carácter for, não se constrói só com o contributo de um lado.

3 comentários:

MK disse...

Gostei imenso deste post porque reflecte muito do que já me passou pela cabeça.
E sim, relações são construídas sempre por 2 pessoas, nunca apenas por uma.
Por muito que não queiramos o melhor por vezes é mesmo deixar de ligar à situação e avançar..

S* disse...

Eles voltam... nessa altura é chamá-los à razão.

Ice Cream disse...

Concordo, é mau quando isso acontece. E o pior é quando alguma coisa corre mal com o casal vêm a correr ter com os amigos que em tempos deixaram para trás, e quando chegam ainda dizem que os amigos são isso mesmo estão sempre lá para apoiar e tal, mas se for necessário já nós precisamos deles e eles estavam demasiado ocupados.
Isso magoa!