segunda-feira, 5 de julho de 2010

Eu sei que cresci, escusam de me avisar tantas vezes

"Estás tão crescido!" deve ser a expressão mais utilizada no que diz respeito a conversas de conveniência. A par das grandes teses e dissertações que se fazem acerca do tempo, aposto que está no top5 das melhores frases para se dizer em encontros de circunstância. Pelo menos é o que acontece comigo. E tenho a certeza que já aconteceu com a grande maioria de  nós, o que me deixa menos ralado com o assunto. Na verdade todos nós mais cedo ou mais tarde passamos pela situação, tentando ou não evitá-la e adiá-la o mais possível. Um dia acaba por acontecer e a cena repete-se por várias vezes. As pessoas que nos viram crescer e que depois deixam de o ver durante algum tempo, encontram-nos e, para espanto delas, nós não permanecemos crianças e fizemos o inimaginável: crescemos! Escândalo, surpresa e até alguma emoção são os sentimentos que se geram ali naquele momento. Não para nós, claro. Porque tudo o que sentimos é embaraço, disfarçando com um grande sorriso amarelo e só pensamos "quando é que este momento constrangedor vai acabar?". Na verdade a intenção das pessoas é a melhor, acredito que fiquem felizes por nos ver, mas um "tudo bem?" e um "gostei de te ver" também não ficavam nada mal e seria melhor para nós, que escusávamos de ficar ali sem saber o que dizer e a contorcermo-nos todos em sorrisos. É que reparem que não nos dão novidade nenhuma. Eu sei que cresci, que já fui criança e que agora já não sou. Estranho para mim seria dizerem-me o contrário. Se me dissessem que estou igual, que não mudei nada, que não estou crescido, aí sim eu preocupar-me-ia e pensaria para mim que algo não estaria a correr como seria de esperar. Mas toda esta conversa não é por acaso, asério que não. Só quero que me digam quando é que isto pára de acontecer. É que reparem: eu já tenho quase 21 anos, já tenho altura suficiente, altura essa que se mantém há já algum tempo e que parece estabilizada, sem razões aparentes para aumentar. Não me digam que esta situação vai durar até aos 30 anos, por favor. Se for o caso, prefiro que se mantenham calados. Não estou preparado para mais lotes de sorrisos amarelos do tipo 'eu sei que estou crescido e vou sorrir porque não sei o que dizer'.

5 comentários:

Vanita disse...

Eu não passei por isso. Fiquei pelo metro e meio e ainda hoje me dizem: estás tão pequenina! Lol, pensam que passa com a idade? :P

Ice Cream disse...

O mais engraçado é quando não sabemos quem são, isso acontece-me muitas vezes... Pessoas que andaram comigo ao colo e me viram a dar os primeiros passos, quando me reencontram dizem isso às vezes fico a pensar.. "pois é, mas.. quem és tu, não me lembro..."

Bloguótico disse...

Bem pescado!!!! LOOOL

No meu caso não é tanto o "tás tão crescido", mas o "nunca mais cresces"... e acredita que não se referem à altura!! LOOL

Aproveito para agradecer a visita ao "crónica"! Certamente voltarei cá! Aprecio esta escrita! :D

Perigosa disse...

A mim o que me perguntam é.. então uma rapariga tão gira e simpática e não tem namoradao ? olha que ta na hora...! Acho que a mentalidade da nossa sociedade ainda é a da idade da pedra em que o principal objectivo do ser humano é arranjar uma metade e procriar.. EEii há pessoas que conseguem ser felizes sozinhas e com carreiras de sonho! Filhos? Marido ? Podemos sempre brincar com o filho da vizinha e o essencial do marido..
Gostei do teu post !

MK disse...

Essa é de facto uma das expressões do top 5.
Acho que outra que muitas vezes aparece (pelo menos a mim, quase todos os dias, principalmente neste verão na loja) é "ohh, não se lembra de mim? quando era pequenina andava no meu colo. lembro-me tão bem". E eu cá para mim "Boa! Eu não me lembro e muito menos sei qual é o seu nome".

(estou-me a entreter aqui a ler uns quantos posts :P gosto d amaneira como escreves. Gostei também muito do "Viver sozinho? Eis a questão!". Também já pensei muitas vezes nisso)